CENIPA e a queda do avião que matou Zavascki
   21 de setembro de 2017   │     3:24  │  23

por Aprigio VIlanova

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), subordinado a Força Aérea Brasileira (FAB), divulgou nota (clique aqui), informando que aguarda a decisão do juiz federal de Angra dos Reis, Raffaele Felice Pirro, sobre o compartilhamento dos laudos produzidos pela Polícia Federal (PF), para a produção do Relatório Final acerca da tragédia.

A nota do CENIPA foi divulgada nesta quarta (20/9) um dia após a tragédia completar oito meses sem conclusão das investigações.

A queda do avião vitimou Teori Zavascki, ministro do Superior Tribunal Federal (STF) e relator da Lava Jato à época, o empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk, sua mãe Maria Ilda Panas e o piloto Osmar Rodrigues.

O juiz federal, Raffael Felice Pirro, logo após a queda da aeronave, decretou o sigilo nas investigações sob a alegação da preservação e eficiência das investigações a pedido da PF e do Ministério Público Federal.

A tragédia está envolta a fatos que levantam suspeitas e que precisam ser esclarecidos.

FUMAÇA

O pescador, Célio de Araújo, testemunha ocular e responsável por acionar o Corpo de Bombeiros, afirmou que a chuva, no momento do acidente, era fraca, que não havia vento e que a aeronave soltava fumaça em um dos lados durante a queda.

CONSULTA

A aeronave teve sua base de dados com a ficha técnica acessada 1.885 vezes 16 dias antes do acidente.  

HANGAR

Pessoas estiveram no hangar, após a queda, e retiraram computadores antes mesmo da PF e da FAB chegar ao local para realizarem a perícia e analisar o circuito interno de segurança.

BTG

O empresário, Filgueiras, tinha 90 por cento do capital social de uma de suas empresas em um fundo de investimentos do BTG- Pactual, ao qual o seu ex-presidente, André Esteves, estava preso em decorrência da Operação Lava Jato por tentativa de obstrução de justiça. 

FILHO

O filho de Teori Zavascki, Francisco Prehn Zavascki, dias antes havia feito uma postagem em sua rede social revelando ameaças que sua família vinha sofrendo.  

DELEGADO

O delegado chefe da PF em Angra dos Reis, Adriano Antonio Soares, responsável pela abertura das investigações, foi assassinado por um vendedor de cachorro quente em Santa Catarina.

COMENTÁRIOS 23

O discurso do general e a 7ª denúncia vazia contra Lula
   20 de setembro de 2017   │     1:48  │  35

Brasília – Em 1937 o coronel Olímpio Mourão anunciou a descoberta do “Plano Cohen”, com o qual – dizia ele -, os comunistas dariam o golpe para derrubar o governo do Getúlio Vargas e instituir o comunismo no País.

Descobriu-se depois que não passava de farsa.

Mas, com base na farsa, no dia 30 de setembro de 1937 o Getúlio Vargas deu o golpe e instituiu o “Estado Novo”.

O “Plano Cohen” era referência à líder comunista húngara Bela Cohen, que governou a Hungria em 1919, e a paranoia comunista haveria de acompanhar o coronel Mourão até o dia 1º de abril de 1964, quando ele precipitou o golpe que derrubou o presidente João Goulart.

E eis que ressuscita agora outro Mourão, com a maior patente entre os oficiais superiores do Exército, ou seja, com quatro estrelas.

Em 2015 ele perdeu o Comando Militar do Sul, com sede em Porto Alegre, por fazer comentários políticos – criticou a classe política -, e permitir que uma unidade sob o seu comando homenageasse o coronel Carlos Brilhante Ustra, pelo seu falecimento.

O coronel Ustra comandou o Doi-Codi, apontado como centro de torturas de presos políticos.

Transferido para a burocracia do Exército, na Capital Federal, o general Mourão voltou a se manifestar sobre política numa palestra a convite da maçonaria. E até agora aguarda o ministro da Defesa, Raul Julgmann, que prometeu dar-lhe uma reprimenda.

Agora dê…

LULA CONDENADO NOVAMENTE BASEADO NA CONVICÇÃO

Saiu mais uma condenação do Lula.

Já é a sétima condenação e todas elas sem apresentar as provas, apenas baseadas na convicção do julgador.

Há três anos a Operação Lava Jato investiga o ex-presidente e até agora não conseguiu juntar as provas cabais, sem as quais toda denúncia ou condenação é falha.

Sem as provas materiais do crime não há crime.

Ocorre que a recente pesquisa de intenção de votos na disputa presidencial em 2018 mantém o Lula à frente. Isso mostra que os ataques desferidos contra ele têm efeito contrário e no lugar de destruí-lo eleitoralmente, só o tem fortalecido.

Ou seja, os algozes do Lula têm sido os melhores cabos eleitorais dele.

COMENTÁRIOS 35

Diretor da PF será substituído e Operação Lava Jato chega ao fim
   19 de setembro de 2017   │     1:28  │  77

 

Brasília – O diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello, vai ser substituído conforme deseja há tempo o ministro da Justiça, Torquato Jardim.

Daiello é independente e braço-forte da Operação Lava Jato na Polícia Federal.  Diz-se que o ministro da Justiça não gosta de Daiello porque não conseguiu controlá-lo e o diretor da PF não “informa nos mínimos detalhes” as ações policiais junto com o Ministério Público Federal.

Fala-se que Torquato Jardim queria ser previamente informado das operações da Polícia Federal na Lava Jato, mas o diretor da PF não é obrigado a lhe dar os detalhes sobre os alvos das ações, mas apenas informá-lo que há operação em curso, sem entrar em detalhes.

Se não for assim, o ministro da Justiça ficaria sabendo de operações sigilosas deflagradas pelo Ministério Público Federal e a Justiça Federal, o que não é da sua competência.

ESTÁ CHEGANDO AO FIM

A saída do diretor da Polícia Federal e o desmonte da força tarefa do Ministério Público Federal em Curitiba são sinais de que a Operação Lava Jato está no fim.

Aliás, sinais que comparados ao que aconteceu na Itália, com a Operação Mãos Limpas, levam à constatação de que a história se repete mesmo em forma de farsa ou de tragédia.

Na Itália, o objetivo de prender o líder socialista Mario Chiesa e destruir o Partido Socialista Italiano foi alcançado, mas, no Brasil não foi possível destruir o PT e está sendo difícil de destruir o Lula.

Sem as provas materiais, toda acusação contra o Lula se confunde com uma farsa e somente o complô para puni-lo de qualquer maneira justificará a sentença de prisão. É imperioso conseguir as provas dos crimes que se atribui ao Lula, para que acabem as dúvidas quanto à farsa.

Até lá, permanece a dúvida atroz: como condenar alguém sem as provas do crime?

Bem, é isso.

A Operação Lava Jato está sendo encerrada de forma tão sútil, que poucos estão percebendo. E, considerando-se que a história só se repete como farsa ou tragédia, igual ao que aconteceu na Itália, a farsa se mantém implícita.

Cabe reproduzida o desabafo do procurador italiano Di Pietro, que trabalhou na Operação Mãos Limpas :

– “De um lado, permanece a amargura ao constatar que, apesar de tudo o que a ‘Mãos Limpas’ descobriu, o sistema de corrupção na administração pública continua existindo, mas não como antes: ele se sofisticou para garantir maior impunidade. Por outro lado, é preciso sublinhar que a magistratura nunca abaixou a guarda na luta contra a corrupção“, disse Di Pietro, o mais célebre dos promotores da operação.

Qualquer semelhança com a Operação Lava Jato não é mera coincidência, porque coincidência não existe.

COMENTÁRIOS 77

Janot não foi convidado e Dino é barrado na posse da nova procuradora-geral da República
   18 de setembro de 2017   │     16:28  │  10

Brasília – O ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não foi convidado à posse da sua substituta, Raquel Dodge, e o procurador Nicolao Dino, o mais votado na lista tríplice para substituir Janot, foi barrado pelos seguranças.

A assessoria de Raquel Dodge, a primeira mulher a assumir a procuradoria-geral da República, informou que o convite para Janot foi enviado por e-mail, o que não é comum.

Já o problema com Nicolao Dino, que é ligado a Janot, foi vice-procurador-geral e o candidato mais votado em todo o País para assumir a procuradoria-geral, foi contornado devido à repercussão negativa. Ficou tudo na conta de “um mal entendido”.

Desde 2003, com o governo Lula, o procurador-geral da República era o mais votado na lista tríplice, mas Temer decidiu não arriscar e escolheu Raquel Dodge, que tem o apoio do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e já demonstrou afinidade com o governo.

A expectativa é de que a Operação Lava Jato perderá fôlego e será paulatinamente esvaziada, até o completo encerramento. Nesta quarta-feira, 20, o Supremo decide se acata o pedido da defesa de Temer para anular todas as decisões de Janot contra o presidente.

COMENTÁRIOS 10

O presidente Henrique Meireles e o mordomo Michel Temer
     │     1:41  │  34

Brasília – O presidente da República de fato, Henrique Meireles, avisou ao presidente de direito Michel Temer, que, na verdade, é apenas o mordomo, que não libera mais dinheiro para comprar deputado.

E agora?

Ah! A salvação será a Raquel Dodge, porque pensam eles que a Raquel Dodge será a engavetadora-geral da República.

Será, Raquel?

O diretor da Polícia Federal será substituído. Mas, substituído por quem? Pelo sargento Garcia?

Na Capital Federal o que se comenta é isso. E já se diz que: igual à Operação Mãos Limpas na Itália, a Operação Lava Jato vai se desmoralizar por si só.

Será?

Temer viaja nesta segunda-feira para os Estados Unidos para dizer o que o Meireles mandou dizer. Senão, ó!

COMENTÁRIOS 34