“A gente pensa que o Lula acabou e ele renasce”, reconhece ex-ministro de Bolsonaro
   23 de janeiro de 2022   │     20:02  │  2

Os dois ex-ministros da Educação, dois bolsonaristas radicais, saíram do ostracismo para mandar o recado para Bolsonaro sobre a eleição este ano. Segundo eles, a batalha está perdida.

Rodrigo Vellez Rodriguez, indicado pelo Olavo de Carvalho para “cuidar da educação no país”, não é brasileiro – é colombiano -, e foi obrigado a se demitir depois de dizer que turista brasileiro na Europa “costuma roubar objetos das lojas”.

Numa postagem na sua rede social, ele disse que o governo está perdido e que o “centrão” é quem comanda tudo, é quem de fato governa o país.

Mas, surpreendente mesmo, foi a declaração do Abraham Weintraub, que o substituiu no Ministério da Educação, sobre o ex-presidente Lula, que lidera todas as pesquisas e pode se eleger já no primeiro turno.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o bolsonarista radical disse o seguinte:

-“O Lula é um encosto para mim. A gente pensa que acabou e ele renasce, vem de novo, não cansa, não para. Esse cara não é deste mundo, ele tem alguma força sobrenatural, não é possível. O Lula é meu inimigo“.

Weintraub também vem criticando Bolsonaro por estar fazendo tudo ao contrário do que prometeu na campanha, e até na posse como presidente, ao entregar o governo ao centrão, mais precisamente ao ex-deputado Valdemar da Costa Neto e ao ministro do Gabinete Civil, Ciro Nogueira.

Bolsonaro entregou ao Ciro Nogueira a chave do cofre e é dele a palavra final sobre liberação de dinheiro para estados e municípios.

Mas, a estratégia principal da campanha está amparada em dois pilares: as redes sociais comandadas pelo vereador federal Carlos Bolsonaro, e recheadas de fake news, e a tentativa de reabrir o caso da “facada” em Juiz de Fora-MG, e há fundadas suspeitas de que, nessa nova investigação, vão acusar o PT.

O delegado da Polícia Federal, Rodrigo Moraes Fernandes, que comandou a investigação e concluiu que o Adélio Bispo agiu sozinho, ou seja, ninguém o contratou para “matar” o então candidato a presidente, foi mandado para os Estados Unidos, onde ficará até 2024.

A tentativa de reabrir o caso da “facada” pode ser o ‘tiro no próprio pé”, principalmente se coincidir com a campanha eleitoral. Se assim for, então, as suspeitas se confirmarão e o que se pretende com a reabertura do caso é mesmo requentar uma história – ou seria estória -, com muitos furos.

Vamos aguardar para ver se a nova história – ou seria estória? -, coincide com o script que já martela o imaginário nacional.

Comentários 2

Sem moral, Sérgio Moro chafurda na lama putrefata da história
   20 de janeiro de 2022   │     20:06  │  44

Eu não acredito que o Bolsonaro conheça “O Príncipe“, a obra famosa de Maquiavel publicada no século XVI, mas acredito que agiu por orientação do Olavo de Carvalho quando se livrou de Sérgio Moro.

Olavo de Carvalho é um intelectual, com certeza conhece a obra de Maquiavel, e tem muita gente que acredita no que ele diz e até paga para ouvi-lo. Ele é o ‘guru” da família Bolsonaro, e com certeza alertou o presidente sobre Moro.

Moro é o personagem recente da história do Brasil que causa indignação, e ficará na história como uma figura desprezível.

Sobre a obra de Maquiavel, ele ensinou que o príncipe deve se livrar daquele que o ajudou a chegar ao poder, quando perceber que houve segundas intenções, e que a ajuda terá um preço a ser pago. Resumindo, foi mais ou menos isso o que Maquiavel ensinou, e foi isso o que o Bolsonaro fez quando forçou o então ministro da Justiça se demitir.

Claro, há brasileiros semelhantes a Moro que ainda o aplaudem, e até declaram que vão votar nele para presidente, embora sejam uma parcela ínfima da população, o que é o bom sinal sobre que nem todo brasileiro é desprovido de caráter.

Para quem deseja saber mais sobre o ex-juiz é só consultar o Google e pesquisar desde a história do Banestado, com o Alberto Yussef, o “delator preferido” da República de Curitiba.

Agora imagine um juiz que levou uma empresa à falência e depois vai trabalhar na Álvaro & Marsal, empresa de consultoria contratada para fazer a recuperação da empresa que ele ajudou a levar à falência!

O Tribunal de Contas da União quer saber quanto Moro recebeu por essa “assessoria”, e espera-se que a investigação seja aprofundada, não só para se fazer justiça no caso de haver legalidade, mas também para se fazer justiça às vítimas que pereceram nas mãos da justiça parcial.

Moro não tem coragem de debater com ninguém e vem se escondendo, e acredito até que não levará a candidatura adiante para não ser desmoralizado nas urnas. É lamentável que ainda exista quem se disponha a ouvi-lo, ainda que seja a minoria, porque é triste saber que existem semelhantes em voga.

Porque uma nação é sempre formada por homens; os traidores são sempre execrados numa nação que se respeita e se protege.

 

 

Comentários 44

Ameaça de greve-geral obriga Bolsonaro a suspender reajuste salarial para policiais
   19 de janeiro de 2022   │     21:54  │  20

Após os protestos de servidores públicos federais na terça-feira, 18, Bolsonaro recuou e anunciou que suspendeu o reajuste dos salários para os policiais federais, rodoviários federais e carcereiros de presídios federais.

Não foi por falta de aviso; logo que anunciou a concessão do reajuste discriminado à categoria de policiais federais, Bolsonaro foi alertado de que isso iria desencadear protestos e movimentos contrários à discriminação, podendo até levar às ações judiciais.

Nesta quarta-feira, 19, depois da “ressaca” causada pelos protestos realizados em frente à sede do Banco Central, no Setor Bancário Sul, pela manhã, e à tarde em frente ao Ministério da Economia, ele decidiu recuar.

Sem jeito e visivelmente constrangido por não ter honrado a palavra, o presidente fez o anuncio do recuo:

-“Há uma grita de maneira geral porque a intenção inicial foi essa, sim, não vou negar, reservar algum reajuste para os policiais federais, os policiais rodoviários federais e o pessoal do Depen ( carcereiros de presídios federais ). E, então, isso está suspenso”.

Na tentativa de manter o discurso, e a promessa, Bolsonaro prometeu conceder o reajuste para todas as categorias do funcionalismo público federal em 2023, mas, é bom não acreditar. Primeiro porque ele pode não se reeleger; segundo porque até mesmo o novo Bolsa Família que ele criou, com o nome de Renda Brasil, só vai ser pago até o segundo turno da eleição este ano – ou seja, acaba em dezembro.

A verdade é que o país enfrenta sérias dificuldades com a política econômica adotada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que privilegia a especulação financeira, as exportações do agronegócio e de matérias-primas para serem manufaturadas lá fora, gerando desemprego no Brasil.

Ou seja, usando da alegoria, o Brasil atual tem a vaca, vende o leite e depois importa o queijo, o iogurte e a manteiga que deveria produzir aqui mesmo.

Vai vendo, Brasil, o que eles estão fazendo com você…

Comentários 20

Nova CPI e novo inquérito da facada agitarão o Congresso, na volta do recesso
     │     15:53  │  4

A proposta do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), para criação de uma nova CPI da Covid, e a mobilização do presidente Jair Bolsonaro para refazer o inquérito sobre a “facada”, vão agitar a pauta na volta do recesso do Congresso Nacional para o mês.

Preocupado com a possibilidade de o Senado criar uma nova CPI, o governo encarregou o ministro do Gabinete Civil e senador licenciado, Ciro Nogueira (PP-PI), para tentar convencer os colegas a não assinarem o requerimento.

São necessárias as assinaturas de 27 senadores e Randolfe diz já possuir o apoio de 17, faltando então 10 senadores. Dessa vez, CPI vai investigar o atraso no início da vacinação de crianças de 5 a 11 anos; o apagão de dados no Ministério da Saúde após um ataque hacker; os ataques do presidente da República a técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária que defenderam a imunização de crianças; e a insuficiência na política de testagem.

São fatos determinados e que levaram à morte de mais de 300 crianças naquela faixa etária, sem falar que o boicote à vacinação infantil está causando a falta de vacinas em muitos estados.

Encurralado, Bolsonaro tenta reagir requentando o caso da “facada” em Juiz de Fora-MG, em 2018. O delegado da Polícia Federal, Rodrigo Moraes Fernandes, que presidiu o inquérito e concluiu que Adélio Bispo é inimputável e agiu por conta própria, foi mandado no começo do mês para uma missão nos Estado Unidos, onde ficará por dois ano, só retornando ao Brasil em 2024.

Com isso, será indicado um novo delegado e uma nova equipe de investigadores, que, segundo se sabe, já se reuniu secretamente com Bolsonaro para discutir a linha da nova investigação. Pessoas próximas ao presidente têm comentado que essa nova investigação pode ser “um tiro no pé”, caso conclua pela inclusão de algum nome do PT como envolvido na trama.

É que Bolsonaro teve todo o tempo do mundo para reabrir o caso e só agora, no ano da eleição, decidiu fazê-lo. Qual a explicação? Por que não o fez antes? Além disso, como desqualificar o inquérito, resultado de duas investigações, do delegado Rodrigo Fernandes, sem uma explicação plausível? O delegado falhou? Prevaricou? tudo isso precisará ser respondido antes da conclusão do novo inquérito sobre a tal “facada”.

O “tiro no pé” ou o ‘tiro que saiu pela culatra” já parece ter sido disparado porque a nova investigação se confunde com o palanque que falta ao presidente, para tentar alavancar a campanha e reverter os números negativos das pesquisas. Resumindo, a nova investigação pode se confundir com a Literatura de Cordel usada pelo genial Ariano Suassuna no clássico “Alto da Compadecida”.

Comentários 4

Blogueiro bolsonarista foragido pede ajuda para pagar advogado
   18 de janeiro de 2022   │     23:19  │  16

Com prisão decretada e escondido nos Estados Unidos, o blogueiro bolsonarista Alan dos Santos postou no Instagram que está sem dinheiro e pediu ajuda financeira para pagar o único advogado constituído, para defendê-lo dos crimes de divulgação de fake news com ataques às instituições democráticas, especialmente ao Supremo Tribunal Federal.

Ele é o décimo-terceiro apoiador de Bolsonaro abandonado à própria sorte, mas vinha conseguindo se manter até hoje nos Estados Unidos com doações através do canal na Internet, e que foi bloqueados devido à divulgação de mentiras ou fake news, para usar a expressão da moda, contra adversários do presidente e ministro do Supremo.

Na relação dos 13 seguidores de Bolsonaro que caíram em desgraça, dois morreram – Gustavo Bebiano e o ator Batoré -, outro está sumido – Rodrigo Vellez Rodriguez, ex-ministro da Educação -, e quatro cumprem pena domiciliar ou no xadrez- Roberto Jefferson, Osvaldo Eustáquio, Sara Geromini, mais conhecida como Sara Winter, e o caminhoneiro conhecido como Zé Trovão.

A lista dos bolsonaristas abandonados se completa com os ex-ministros Ricardo Salles, Ernesto Araújo e Abrahão Weintraub; o cantor Sérgio Reis, que entrou em depressão, a atriz Regina Duarte, e o astrólogo Olavo de Carvalho, que foi obrigado a fugir de um hospital em São Paulo, para não ser preso, e chegou aos Estados Unidos embarcando pelo Paraguai.

De fato, são tantas emoções nesse governo que, aquilo que não dá para chorar, dá pra rir.

 

Comentários 16