Monthly Archives: julho 2013

Teste reprova 7 em cada 10 médicos brasileiros
   31 de julho de 2013   │     19:33  │  5

O Conselho Federal de Medicina abafou o caso e o Ministério da Saúde lavou as mãos sobre o resultado vergonhoso do teste aplicado pelo Conselho Regional de Medicina com os médicos formados em São Paulo.

De cada 10 médicos, 7 foram reprovados.

O Ministério da Saúde alegou que o teste foi da iniciativa particular do CRM paulista e não é uma exigência para o exercício da profissão, diferente do exame da Ordem dos Advogados do Brasil – que não permite o exercício da profissão para quem não passou no teste.

Fico de cá a imaginar: se em São Paulo, onde estão as melhores faculdades de Medicina, os melhores hospitais, os melhores professores e os maiores IDHs o resultado foi desastroso, como seria o resultado em Alagoas, com os piores IDHs do país?

Não dá para prever. Abafe-se o caso.

A questão da revalidação do diploma para os médicos estrangeiros e colocada como pauta das manifestações contra a decisão do governo de importar médicos, é apenas pirraça. Dizer que é em defesa da saúde da população, é blefe.

Considerando-se o vergonhoso resultado do teste do CRM paulista, a conclusão é óbvia: todos, e principalmente os médicos brasileiros, devem se submeter à revalidação dos seus diplomas. O resultado do teste do CRM paulista desautoriza a exigência.

Exige-se nos outros o que eles não querem se submeter e, pior, quando se submetem o resultado é 7 reprovados em cada 10, e isto em São Paulo!

Quanto mais em Alagoas…

Evidente que existe profissionais alagoanos gabaritados e não se pode generalizar, mas, observem que esses que são gabaritados passaram pelos plantões da Unidade de Emergência ou estão há anos na profissão com especializações até fora do país.

É a exceção.

A regra é pegar o diploma, abrir um consultório ou se filiar a uma cooperativa, e sem se separar jamais da “cartilha” que a indústria farmacêutica edita com exclusividade para “ensinar” as prescrições de medicamentos, começar a clinicar.

Com certeza, os 7 reprovados no teste do CRM paulista estão nessa regra. Se lerem ou interpretarem mal o que a “cartilha” da indústria farmacêutica ensina, aí o paciente deles que Deus tome de conta se ainda tiver tempo.

E em caso de óbito a culpa é do H1N1.

Já é demais para a sociedade vê médicos fazendo greve, mas está muito pior essa situação onde a população não tem o médico que procura porque ele não foi trabalhar ou não quer trabalhar naquele lugar longe.

Uma situação que lembra a situação daquela gente do povo e anônima:

– “Eu não quero saber de onde veio o médico. Eu quero é encontrar o médico no posto”.

Ô! A Coqueluche voltou, a coqueluche voltou
     │     12:51  │  1

Em São Paulo, uma mãe está processando os quatro médicos que deram diagnósticos errados para o filho dela; no Rio de Janeiro, o filho do mega-empresário Eike Baptista está internado com coqueluche.

Em São Paulo, foi a própria mãe que diagnosticou a doença do filho: coqueluche.

Sei que é duro falar sobre isso, daí não vou citar os nomes, mas há 20 dias um amigo meu perdeu o filho menor e eu desconfio que a doença do menino era coqueluche.

Não sou médico. Mas, o pior é que o filho desse amigo meu, embora internado e tratado em hospital particular, faleceu sem que os médicos dissessem até agora a causa.

E, principalmente, qual a doença que o acometeu.

Foram várias as hipóteses levantadas. O garoto apareceu com uma tosse que ninguém conseguiu controlar, seguida de febre e vômitos – que são os sintomas da coqueluche.

O  primeiro diagnóstico foi de dengue, depois pneumonia, e em seguida o vírus H1N1, que é o vilão de todos os diagnósticos quando não se tem mais como definir a causa das doenças.

Eu não sou médico, mas como os médicos que assistiram o filho desse meu amigo até hoje também não sabem do que ele morreu, eu arrisco dizer que foi de coqueluche.

A coqueluche é uma moléstia besta, que pode vir acompanhada de apneia, febre, perda do fôlego, diarreia, convulsões, alterações sensoriais e mucosas do nariz.

A coqueluche é uma moléstia considerada energizante, pois pode se desdobrar em tuberculose. Mas, não costuma matar – exceto, quando não é diagnosticada.

Mas virou moda se atribuir tudo ao vírus H1N1, ou a Influenza, pois acredito que muitos profissionais pensam que se trata de descoberta recente.

É não.

Só para se ter ideia, o Influenza foi detectado pela primeira vez em 1510, ou seja, l0 anos depois do “descobrimento” do Brasil.

E o vírus foi isolado em 1933, pelos cientistas ingleses Smith, Andrewes e Laidlaw. Não é coisa de “gripe suína” não.

Cuidado, pois, porque o H1N1 já levou muita culpa pelas mortes que não produziu. Além da dengue, agora é a coqueluche que voltou.

O papa Francisco quebra tabu falando sobre homossexualismo
   30 de julho de 2013   │     12:39  │  10

Se na Bíblia existe qualquer citação direta ou indireta sobre a homossexualidade, então é a prova de que não se trata de doença e sim de opção reprimida.

O fundamento da religião é a fé e a fé se propaga na família – que, em tese, pressupõe prole e a prole vem dos opostos. Ou seja: macho e fêmea.

Isso para quem acredita que o mundo surgiu mesmo conforme a Bíblia.

Quem, igual a mim, considera a versão bíblica uma ficção religiosa a questão é mais profunda e remonta ao comunismo primitivo da humanidade.

Sim! No princípio éramos todos comunistas. Ainda hoje o poder é materno porque no comunismo primitivo a paternidade era coletiva.

Já se disse que o homem foi o primeiro animal que a mulher domesticou. Em seguida, a mulher inventou a agricultura. E o homem foi cuidar da caça.

Mas aí veio a organização social e com ela a religião. É antiquíssima a máxima popular que diz assim:

-“Homem com homem, lobisomem. Mulher com mulher, jacaré”.

E por que firmaram isso como conceito? Coisa da religião.

Ao falar sobre a homossexualidade o papa Francisco quebrou um tabu na Igreja Católica, que, embora de forma tênue, dá demonstrações de que deseja se renovar.

O papa Francisco vislumbrou que a posição radical contra a opção sexual da humanidade trafega no sentido inverso da história e da própria biologia.

O escritor Erick Von Dänike, autor do livro “Eram os Deuses Astronautas”, chamou a atenção para a metamorfose pela qual a humanidade está se submetendo sem que se saiba até agora a causa.

Ou seja: observem que tem mulheres nascendo com características masculinas e homens nascendo com características femininas.

O homossexualismo é o complemento indestrutível, inabalável, irremovível e jamais tratado. A cura gay só existe na Bíblia do pregador de mentiras.

PT reclama e Lula volta a defender os 39 ministérios
   29 de julho de 2013   │     19:08  │  3

O ex-presidente Lula emergiu do mergulho antes do combinado, porque não contava com as intempéries de junho.

As intempéries de junho foram as manifestações de ruas e o boato sobre o agravamento do seu estado de saúde.

Um jornal em Brasília chegou a publicar que o Lula estava se submetendo a um tratamento espiritual com um médium goiano. O câncer teria voltado.

O Lula havia acertado para reaparecer somente na solenidade de comemoração pelos 10 anos do PT no governo, o que aconteceu em Salvador.

Mas ocorreram duas outras reuniões importantes, uma em Osasco-SP e outra em Brasília, e o Lula se fez presente para dizer – na verdade, se mostrar – que estava bem de saúde.

E que não havia abandonado a presidente Dilma.

Mas o Lula pareceu confuso. Na reunião em Osasco, ele defendeu a tese do PMDB para redução do número de ministérios; na reunião em Brasília ele pregou o contrário.

A desculpa do Lula para defender a manutenção dos atuais 39 ministérios até que parece lógica; ele disse que, no caso de se extinguir ministérios, iria sobrar para os ministérios que cuidam da parte social.

Parece lógica, mas de lógica não tem nada. O governo mantém os 39 ministérios porque, se reduzi-los para 20, como propõe o PMDB, a base aliada se agita.

A base aliada e o PT, que já está dividido, mas ainda na surdina. O PT reclama e pede mais cargos para si.

A presidente Dilma sabe que tem ministério além da conta. Tem ministro com o qual jamais despachou! Mas sabe que terá de manter o absurdo, em nome da unidade do PT – que parece insaciável por cargos.

A máquina pesada do governo está comprometendo as finanças públicas. De cada 10 reais que o governo arrecada de imposto, 3 reais é para pagar pessoal e manter essa máquina pesada. Os 7 reais restantes são para a saúde, a educação, a segurança pública, a agricultura, a pesquisa, infraestrutura e demais serviços.

E no lugar de economizar reduzindo o tamanho do estado, o governo decidiu cortar investimentos para manter o monstro vivo.

Afinal, 2014 é já, já.

Médicos cubanos só querem receber 2,5 mil reais
   27 de julho de 2013   │     12:00  │  30

Uma amiga minha, a Aidê, funcionária aposentada da Câmara Federal e que foi secretária do então deputado José Thomaz Nonô, quando ele presidiu a CCJ, viajou a passeio a Cuba.

E voltou embasbacada.

Ela conheceu um casal de médicos cubanos e viveu a rotina deles por quase uma semana. E me contou a seguinte história:

A renda mensal desse casal de médicos cubanos não passa de 100 dólares. Somando-se os salários dos dois!

Isso equivale a 200 reais por mês ou menos da metade do salário-mínimo brasileiro. Mas não é só isso.

A Aidê me disse que os dois, marido e mulher, saiam para o hospital no começo da tarde e voltavam às 11 horas da noite; no dia seguinte estavam em pé, às 5 da manhã, porque às 6 e 30 o ônibus vinha pegá-los e levá-los para o canavial onde ajudam “o coletivo” a cortar cana.

Ao meio dia estavam de volta e às 2 horas da tarde saiam para o hospital, e tudo isto para ganhar 200 reais por mês!

O programa Mais Médico do governo brasileiro é, para esse casal de médicos cubanos, a chance de ganharem 10 mil reais ou 5 mil dólares.

Pensem bem! Eles ganham em Cuba 100 dólares por mês e passarão a ganhar no Brasil CINCO MIL DÓLARES!

Ou 10 mil reais.

Mas sabem o que esse casal de médicos fez?  Eles têm direito a receber 10 mil reais por mês, mas já assinaram um documento declarando que só querem 2 mil e 500 reais!

Os 7 mil e 500 reais restantes, esses médicos cubanos vão destinar ao fundo de ajuda financeira a Cuba.

-“Eles ( os médicos cubanos ) são competentes e muito, mas muito disciplinados” – me disse a Aidê.

Está aí o “perigo” que os médicos cubanos representam. Um médico que reserva a parte da manhã para ajudar a cortar cana ( ou colher café ) não vai escolher local para trabalhar.

E aí, locais como Santa Cruz do Deserto, em Alagoas, e outros locais perdidos no interior ou no Norte do país, onde o médico só passa na televisão, vão poder vê-los agora ao vivo atendendo a população.

A discussão sobre a vinda dos médicos estrangeiros, para trabalharem onde os médicos brasileiros não querem ir, tem sido mesquinha.

Discute-se o bem-estar, mas não é o bem-estar da população. Até agora, ninguém se levantou em defesa da população, especialmente daqueles que moram longe e ganham mal.

E para esses excluídos que morrem à míngua, a única esperança é o médico cubano. Ou alguém tem a salvação?